BLOG DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA.....ARAÇATUBA- SP

Atenção

"AS AFIRMAÇÕES, INFORMAÇÕES E PARECERES PUBLICADOS NESTE BLOG SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DE QUEM OS ELABOROU, ASSINA E OS REMETEU PARA PUBLICAÇÃO. FICA A CRITÉRIO DO RESPONSAVEL PELO BLOG A PUBLICAÇÃO OU NÃO DAS MATÉRIAS, COMENTÁRIOS OU INFORMAÇÕES ENCAMINHADOS."

terça-feira, 25 de setembro de 2018

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 26-09-2018.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/SETEMBRO/26-09-2018.htm

As Riquíssimas Horas do Duque de Berry. Folha 70r –De Profundis



Livro de Horas
Livro de horasLivro das horas ou ainda Livro missal é um livro de devoção criado por devotos no final da Idade Média. Em geral, continha o calendário das festas e dos santos, as Horas da Virgem, da Cruz, do Espírito Santo e dos mortos (Liturgia das Horas), as orações comuns e os salmos penitenciais. Geralmente eram ricamente ilustrado com iluminuras.[1]    https://pt.wikipedia.org/wiki/Livro_de_horas


De profundis
A expressão De profundis , que, traduzido literalmente, significa "do profundo [do abismo]", é tomada desde o começo do Salmo 129 [1] de acordo com a tradução latina da Vulgata.
De profundis é recitado em particular na liturgia dos mortos .
Pela tradição antiga também foi entoada nas segundas Vésperas no dia de Natal; Mesmo com a reforma litúrgica desejada pelo Concílio Vaticano II, que reduziu o número de salmos a serem cantados nas vésperas de cinco para três, esta tradição foi confirmada.
Como expressão, é usada na linguagem atual para entender: mais no contexto literário, uma lamentação, não necessariamente desolada, se alguma coisa aberta ao transcendente, de uma condição de grande provação; de uso comum como "último adeus", "licença final ou abandono", também de uma ideia, um projeto, uma instituição.
Igreja Saint-Michel-des-leões de Limoges
Libertação de São Pedro. Óleo sobre tela por Seguidor de Hendrick  ter Brugghen
Imagem fonte:
Oscar Comettant
 John Dee e Edward Kelly evocam um espírito

John Dee e Edward Kelley usando um ritual de círculo mágico para invocar um espírito em um cemitério da igreja .
Limão Galego. Foto Ismael Gobbo.
Instituto do Câncer de São Paulo Octavio Frias de Oliveira. Av. Dr. Arnaldo. São Paulo, Brasil. Foto Ismael Gobbo
Copo d’ água. (1893)
Óleo sobre tela de Francisco Aurélio de Figueiredo
Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, Brasil. Foto Ismael Gobbo


Jardim da Luz. São Paulo,  Brasil. Foto Ismael Gobbo


Eurípedes Barsanulfo
O Universo é obra inteligentíssima; obra que transcende a 
mais genial inteligência humana; e, como todo efeito
 
inteligente tem uma causa inteligente, é forçoso inferir que a
do universo é superior a toda inteligência; é a inteligência das
inteligências; a causa das causas; a lei das leis; o princípio dos
princípios; a razão das razões; a consciência das consciências;
é Deus! Deus! Nome mil vezes santo, que Newton jamais
pronunciava sem se descobrir!

Ó Deus que vos revelais pela natureza, vossa filha e nossa
mãe, reconheço-vos eu, Senhor, na poesia da criação; na
criancinha que sorri; no ancião que tropeça; no mendigo que
implora; na mão que assiste; na mãe querida que vela; no pai
extremoso que instrui; no apóstolo abnegado que evangeliza
as multidões.

Ó Deus! Reconheço-vos eu, Senhor, no amor do esposo; no
afeto do filho; na estima da irmã; na justiça do justo; na
misericórdia do indulgente; na fé do homem piedoso; na
esperança dos povos; na caridade dos bons; na inteireza dos
íntegros. Ó Deus! Reconheço-vos eu, Senhor! no estro do vate;
na eloqüência do orador; na inspiração do artista; na santidade
 
do mestre; na sabedoria do filósofo e nos fogos eternos do
 
gênio!

Ó Deus! Reconheço-vos eu, Senhor! na flor dos vergéis, na
relva dos vales; no matiz dos campos; na brisa dos prados; no
perfume das campinas; no murmúrio das fontes; no rumorejo
das franças; na música dos bosques; na placidez dos lagos; na
altivez dos montes; na amplidão dos oceanos e na majestade
do firmamento!

Ó Deus! Reconheço-vos eu, Senhor! nos lindos antélios, no íris
multicor; nas auroras polares; no argênteo da Lua; no brilho do
Sol; na fulgência das estrelas; no fulgor das constelações!
Ó Deus! Reconheço-vos eu, Senhor! na formação das
nebulosas; na origem dos mundos; na gênese dos sóis; no
berço das humanidades; na maravilha, no esplendor e no
sublime do Infinito!

Ó Deus! Reconheço-vos eu, Senhor! com Jesus, quando ora:
"Pai nosso que estais nos céus..." ou com os anjos quando
cantam: "Glória a Deus nas alturas, Paz na Terra aos Homens e
Mulheres da Boa Vontade de Deus".

The Rose Garden. Hyde Park.  Londres, Reino Unido.Foto Matheus Gobbo.

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 25-09-2018.

CLICAR AQUI:


Denis Papin.


Denis Papin (Blois22 de agosto de 1647 — Londres (?) 1712) foi um físico e inventor francês.
Frequentou uma escola jesuíta em Blois e a partir de 1661 a Universidade Angers, onde se formou em Medicina, no ano de 1669. Enquanto trabalhava com Christiaan Huygens e Gottfried Leibniz em Paris, em 1673, passou a interessar-se pela utilização do vácuo para gerar força motriz.
Denis Papin foi o inventor da célebre Marmita de Papin (máquina a vapor), apresentada em 1679, que precedeu a invenção do autoclave e a panela de pressão.
Membro da sociedade real de ciências da Inglaterra, preparou um jantar com uma panela diferente, fechada, para impressionar seus futuros colegas. Papin sabia do perigo de aquecer água em um recipiente fechado,pois a força exercida pelo vapor aquecido poderia "explodir" o recipiente. por isso ele criou uma válvula que permitia o escape de parte desse vapor, evitando que a pressão passasse de certo valor limite. Evidentemente esse sistema era rústico (sem acabamento), mas serviu de modelo para as panelas que utilizamos atualmente. https://pt.wikipedia.org/wiki/Denis_Papin
“Law House” (Casa de Lei). Rua Quincampoix, 91. Paris, França. Fotografia Atget, Eugene (1857-1927) 
Os reservistas. Óleo sobre tela de Pierre Georges Jeanniot. Exposto no Museu das Armas em Les Invalides, Paris, França.
Foto Ismael Gobbo
Napoleão e a partida das tropas pata Toulon. Jornal “Le Monde Illustré” de 30-04-1859.
Partida das tropas para Toulon. Le Monde Illustré de 30-04-1859
Chegada das primeiras tropas francesas a Turim. Jornal “Le Monde Illustré” de 07-05-1859.



Segunda Guerra de Independência Italiana
Data: 26 de abril de 1859/ 12 de julho de 1859

A Segunda Guerra de Independência Italiana [nota 1]; tem esse nome em respeito ao processo de unificação italiano. Ela foi travada pela França de Napoleão III e pelo Reino da Sardenha contra o Império Austríaco em 1859. A guerra tem as suas origens nas ambições da casa de Saboia; esta pretendia estender a sua influência na Itália, no desejo de os radicais italianos anularem os Estados Papais e na aceitação, por parte de Napoleão III, das "nacionalidades europeias", o seu desejo de obter Nice e a Saboia para a França, deixando a esta casa italiana a possibilidade de tomar a Lombardia. Os historiadores vêem nesta ação uma demonstração da ambição política da Condessa de Castiglione (que era amante de Cavour, primeiro-ministro do Reino da Sardenha.
O exército sardo-piemontês [nota 2], aliado à França, queria conquistar o Reino Lombardo-Vêneto, no Norte da península Itálica, então sob domínio austríaco.
A guerra envolveu cerca de 120 000 franceses, que desembarcaram em Gênova, 40 000 sardo-piemonteses e 180 000 austríacos (vindo este contingente a ascender aos 270 000 efetivos).

..........................................................
.........................................
.................................



LEIA SOBRE A LEGIÃO ESTRANGEIRA FRANCESA
Napoleão III na Batalha de  Solferino. Óleo sobre tela por Jean-Louis-Ernest Meissonier.
Museu das Armas e Les Invalides. Paris, França. Foto Ismael Gobbo


Ventania (1888). Óleo sobre tela de Antonio Parreiras
Pinacoteca do Estado de São Paulo. Foto Ismael Gobbo
Praias. Niterói, RJ. Fotos Ismael Gobbo
640px-Napoleon_in_His_Study
Napoleão Bonaparte por Jacques-Louis David
Allan Kardec Digitalizar0001
Allan Kardec, Codificador do Espiritismo

domingo, 23 de setembro de 2018

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 24-09-2018.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/SETEMBRO/24-09-2018.htm

Página do jornal “La Patrie” do dia 23 de setembro de 1859 com  a crônica mencionada pela
Revista Espírita conforme texto acima reproduzido. A crônica se inicia na quarta coluna.
Feira da Saint-Ovide na Praça Vendôme. Paris, França. Gravura de cobre,  em relevo (cinzel),  por Jacques-Gabriel Huquie
Imagem/fonte:
Aparelho para fabricação de dióxido de carbono líquido; projetado e construído por AJP Thilorier em 1834.
A abertura da estrada de ferro Stockton & Darlington em 1825 por JR Brown (1850-1918), desenhista / ilustrador
Imagem/fonte:
La Gare Saint-Lazare. Paris, França. Óleo sobre tela por Claude Monet.
Estação Termini. Roma, Itália. Foto Ismael Gobbo.
Pintura em sarcófago egípcio com cenas de psicostasia “Pesagem da Alma”
Museu Nacional da Quinta da Boa Vista. Rio de Janeiro, Brasil. Foto Ismael Gobbo
Sarcófago egípcio que se encontrava exposto no estupendo Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro,
Brasil, uma das incontáveis vítimas do incêndio do dia 02/09/2018. Foto Ismael Gobbo.
Quadro intitulado “O Angelus”. Óleo sobre tela  por Jean-François Millet.
A noite estrelada. Óleo sobre tela por Vincent van Gogh.
Imagem/fonte:

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA. 22-09-2018.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/SETEMBRO/22-09-2018.htm

Rue dês Grès com o Convent dês Jacobins. Paris, França.
Página do jornal “La Patrie” de 27 de junho de 1860, com o artigo mencionado na Revue Spirite acima.
Veja em Fatos Diversos. No centro da página à esquerda.
Um castelo chamado de “Reine Blanche” na Rue des Noyers. Paris, França.
Rue des Noyers. Paris, França.

 Charles Marville.


Uma animação da rotação da Terra ao redor do eixo do planeta
Acesse a animação aqui:


quinta-feira, 20 de setembro de 2018

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 21-09-2018.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/SETEMBRO/21-09-2018.htm 

Ilustração de mulher acusada de feitiçaria na Idade Média. Por Émile Deschamps (1822-1893)
O Palácio da Justiça em 1650. Paris, França.
Imagem/fonte:
Detalhe do plano de Turgot mostrando a igreja Saint-Étienne-des-Grès no cruzamento da rue Saint-Jacques
com a rua Saint-Étienne-des-Grès. Em primeiro plano, a cúpula da Sorbonne.
Imagem/fonte:
Um chiffonnier parisiense, avenue des Gobelins , em 1899 (foto Eugene Atget).
Imagem/fonte:


Chiffonnier: Tradução para o português: trapeiro, farrapeiro

Mar Mediterrâneo em Tel Aviv, Israel. Foto Ismael Gobbo
Mar Mediterrâneo em Cesaréia, Israel. Foto Ismael Gobbo.
Oleandro ou Espirradeira. Cesaréia, Israel. Foto Ismael Gobbo
IMG_6009
Ponte Marie, Paris, França. Foto Lucas Gobbo


quarta-feira, 19 de setembro de 2018

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 20-09-2018.

CLICAR AQUI:


Livro sobre Escrita Direta demonstrada pelo Barão de Guldenstubbé.
Barão Louis Guldenstubbé. Grande médium pneumatógrafo.
Imagem/fonte:

Escritas diretas (pneumatografia)  obtidas pelo Barão Luis Guldenstubbé *
Imagens/fonte:

Allan Kardec (1804- 1869). Codificador do Espiritismo
Réplica de Lucerna com retrato do imperador Cesar Augusto, adquirida em Mérida, Espanha. Foto Ismael Gobbo.
Dezenas de Lucernas ou lamparinas até outro dia existentes no Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro, Brasil. Espera-se que algumas se salvam dos escombros do incêndio. Foto Ismael Gobbo
Neve em Cambridge, Reino Unido. Foto Ismael Gobbo
ismael_batista1
Ismael Batista da Silva