BLOG DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA.....ARAÇATUBA- SP

Atenção

"AS AFIRMAÇÕES, INFORMAÇÕES E PARECERES PUBLICADOS NESTE BLOG SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DE QUEM OS ELABOROU, ASSINA E OS REMETEU PARA PUBLICAÇÃO. FICA A CRITÉRIO DO RESPONSAVEL PELO BLOG A PUBLICAÇÃO OU NÃO DAS MATÉRIAS, COMENTÁRIOS OU INFORMAÇÕES ENCAMINHADOS."

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Lucas - Capítulo XXIII

1 E levantando-se toda a multidão deles, conduziram Jesus a Pilatos.   
2 E começaram a acusá-lo, dizendo: Achamos este homem pervertendo a nossa nação, proibindo dar o tributo a César, e dizendo ser ele mesmo Cristo, rei.   
3 Pilatos, pois, perguntou-lhe: És tu o rei dos judeus? Respondeu-lhe Jesus: É como dizes.   
4 Então disse Pilatos aos principais sacerdotes, e às multidões: Não acho culpa alguma neste homem.   
5 Eles, porém, insistiam ainda mais, dizendo: Alvoroça o povo ensinando por toda a Judéia, começando desde a Galiléia até aqui.   
6 Então Pilatos, ouvindo isso, perguntou se o homem era galileu;   
7 e, quando soube que era da jurisdição de Herodes, remeteu-o a Herodes, que também naqueles dias estava em Jerusalém.   
8 Ora, quando Herodes viu a Jesus, alegrou-se muito; pois de longo tempo desejava vê-lo, por ter ouvido falar a seu respeito; e esperava ver algum sinal feito por ele;   
9 e fazia-lhe muitas perguntas; mas ele nada lhe respondeu.   
10 Estavam ali os principais sacerdotes, e os escribas, acusando-o com grande veemência.   
11 Herodes, porém, com os seus soldados, desprezou-o e, escarnecendo dele, vestiu-o com uma roupa resplandecente e tornou a enviá-lo a Pilatos.   
12 Nesse mesmo dia Pilatos e Herodes tornaram-se amigos; pois antes andavam em inimizade um com o outro.   
13 Então Pilatos convocou os principais sacerdotes, as autoridades e o povo,   
14 e disse-lhes: Apresentastes-me este homem como pervertedor do povo; e eis que, interrogando-o diante de vós, não achei nele nenhuma culpa, das de que o acusais;   
15 nem tampouco Herodes, pois no-lo tornou a enviar; e eis que não tem feito ele coisa alguma digna de morte.   
16 Castigá-lo-ei, pois, e o soltarei.   
17 [E era-lhe necessário soltar-lhes um pela festa.]   
18 Mas todos clamaram à uma, dizendo: Fora com este, e solta-nos Barrabás!   
19 Ora, Barrabás fora lançado na prisão por causa de uma sedição feita na cidade, e de um homicídio.   
20 Mais uma vez, pois, falou-lhes Pilatos, querendo soltar a Jesus.   
21 Eles, porém, brandavam, dizendo: Crucifica-o! crucifica-o!   
22 Falou-lhes, então, pela terceira vez: Pois, que mal fez ele? Não achei nele nenhuma culpa digna de morte. Castigá-lo-ei, pois, e o soltarei.   
23 Mas eles instavam com grandes brados, pedindo que fosse crucificado. E prevaleceram os seus clamores.   
24 Então Pilatos resolveu atender-lhes o pedido;   
25 e soltou-lhes o que fora lançado na prisão por causa de sedição e de homicídio, que era o que eles pediam; mas entregou Jesus à vontade deles.   
26 Quando o levaram dali tomaram um certo Simão, cireneu, que vinha do campo, e puseram-lhe a cruz às costas, para que a levasse após Jesus.   
27 Seguia-o grande multidão de povo e de mulheres, as quais o pranteavam e lamentavam.   
28 Jesus, porém, voltando-se para elas, disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; chorai antes por vós mesmas, e por vossos filhos.   
29 Porque dias hão de vir em que se dirá: Bem-aventuradas as estéreis, e os ventres que não geraram, e os peitos que não amamentaram!   
30 Então começarão a dizer aos montes: Caí sobre nós; e aos outeiros: Cobri-nos.   
31 Porque, se isto se faz no lenho verde, que se fará no seco?   
32 E levavam também com ele outros dois, que eram malfeitores, para serem mortos.   
33 Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, ali o crucificaram, a ele e também aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda.   
34 Jesus, porém, dizia: Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem. Então repartiram as vestes dele, deitando sortes sobre elas.   
35 E o povo estava ali a olhar. E as próprias autoridades zombavam dele, dizendo: Aos outros salvou; salve-se a si mesmo, se é o Cristo, o escolhido de Deus.   
36 Os soldados também o escarneciam, chegando-se a ele, oferecendo-lhe vinagre,   
37 e dizendo: Se tu és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo.   
38 Por cima dele estava esta inscrição [em letras gregas, romanas e hebraicas:] ESTE É O REI DOS JUDEUS.   
39 Então um dos malfeitores que estavam pendurados, blasfemava dele, dizendo: Não és tu o Cristo? salva-te a ti mesmo e a nós.   
40 Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando na mesma condenação?   
41 E nós, na verdade, com justiça; porque recebemos o que os nossos feitos merecem; mas este nenhum mal fez.   
42 Então disse: Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.   
43 Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.   
44 Era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até a hora nona, pois o sol se escurecera;   
45 e rasgou-se ao meio o véu do santuário.   
46 Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou.   
47 Quando o centurião viu o que acontecera, deu glória a Deus, dizendo: Na verdade, este homem era justo.   
48 E todas as multidões que presenciaram este espetáculo, vendo o que havia acontecido, voltaram batendo no peito.   
49 Entretanto, todos os conhecidos de Jesus, e as mulheres que o haviam seguido desde a Galiléia, estavam de longe vendo estas coisas.   
50 Então um homem chamado José, natural de Arimatéia, cidade dos judeus, membro do sinédrio, homem bom e justo,   
51 o qual não tinha consentido no conselho e nos atos dos outros, e que esperava o reino de Deus,   
52 chegando a Pilatos, pediu-lhe o corpo de Jesus;   
53 e tirando-o da cruz, envolveu-o num pano de linho, e pô-lo num sepulcro escavado em rocha, onde ninguém ainda havia sido posto.   
54 Era o dia da preparação, e ia começar o sábado.   
55 E as mulheres que tinham vindo com ele da Galiléia, seguindo a José, viram o sepulcro, e como o corpo foi ali depositado.   
56 Então voltaram e prepararam especiarias e unguentos. E no sábado repousaram, conforme o mandamento.   



Pedra em Cesaréia fazendo referência ao imperador romano Tibério e a Pilatus.
Foto Margarida Lopes de Araújo.


Pilatos ( / p ɒ n ʃ ə s p aɪ l ə t , - tʃ ə s , - t i ə s / ; [2] [3] [4] Latina : Pôncio PILATUS , grego : Πόντιος Πιλάτος , Pontios Pilatos ) foi o quinto prefeito da província romana da Judéia de 26 a 36 dC [1] [5] Ele serviu sob o imperadorTibério , e é mais conhecido hoje pelo julgamento e crucificação de Jesus .
As fontes da vida de Pilatos são uma inscrição conhecida como a Pedra de Pilatos , que confirma sua historicidade e estabelece seu título como prefeito ;... https://en.wikipedia.org/wiki/Pontius_Pilate
Jesus na corte de Herodes. 1308-11. Por Duccio,  atualmente no Museo dell'Opera del Duomo, em Siena, na Itália.
Ecce homo. “Eis o homem”. Pilatos apresenta Jesus à multidão. Quadro de Antonio Ciseri.
O que é a verdade?  Pilatos e Cristo. Pintura de Nikolai Ge.
Pilatos lava as mãos. Aquarela por James Tissot.
Imagem/fonte:
Barrabás em pintura por James Tissot.
Cristo caindo a caminho do calvário. Óleo sobre tela de Rafael.
Este local junto ao Jardim da Tumba é divulgado como sendo o Gólgota, ou Monte da Caveira. Jerusalém, Israel.
Foto Ismael Gobbo
Elevação da cruz. Pintura de Peter Paul Rubens.
Cristo na cruz (esboço). Óleo no painel  por Eugène Delacroix.
Imagem/fonte: 
Jesus Cristo entre dois ladrões. Óleo sobre madeira por Peter Paul Rubens.
Imagem/fonte:
A visão de Jesus a partir da cruz em aquarela por James Tissot.
Lamentação sobre o Cristo morto (ou Pietá). Óleo sobre tela de Jacopo Tintoretto.
Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. São Paulo, Brasil. Foto Ismael Gobbo
José de Arimatéia por Pietro Perugino, um detalhe de sua lamentação sobre o Cristo morto. .
Vista do Jardim da Tumba e interior do túmulo divulgado como sendo o de Jesus. Jerusalém, Israel. 
Fotos Ismael Gobbo

Pela tradição católica o túmulo de Jesus se encontra no interior da Igreja do Santo Sepulcro
que está logo abaixo.
Igreja do Santo Sepulcro. No interior da igreja há um túmulo que, segundo a tradição
Católica,  seria o local onde Jesus foi sepultado. Foto Ismael Gobbo
Longas filas visitando o “Santo Sepulcro” na igreja do mesmo nome. Jerusalém, Israel. Foto Ismael Gobbo.

Há um outro local fora das muralhas de Jerusalém, acima da Porta de Damasco, chamado de
Jardim da Tumba, onde há uma sepultura que divulgam como sendo a de Jesus.
Bairro judeu da Cidade Velha. Jerusalém Israel. Foto Ismael Gobbo
Monte onde se situava o antigo  templo de Jerusalém. Ao fundo o Monte das Oliveiras. Foto Ismael Gobbo.
Mesquita de Omar ou Domo da Rocha no local onde outrora se situava o templo de Jerusalém. Israel.  Foto Ismael Gobbo

NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA. 14-12-2018.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/DEZEMBRO/14-12-2018.htm

Louis Jourdan

Louis Jourdan.
Louis Jourdan (1810-1881), retrato de Nadar, 1860. Bibliothèque nationale de France, gabinete des estampes (Na 237/261). Imagem/fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Louis_Jourdan_Nadar_vers_1860.jpg


Louis Jourdan (1810-1881) é um editor de jornal e jornalista francês perto de doutrinas phalansterian e Saint-Simonian . Ele colaborou com muitas revistas e fundou com Moïse Polydore Millaud Le Journal des Actionnaires , depois de ter criado com ele primeiro o Journal des Docks .
Leia mais:

**************************

Embora o Espiritismo em seus primeiros dias  tenha sofrido críticas levianas como as do Sr. Émile Deschanel, que já repassamos,   não deixou de receber palavras respeitosas como as do jornalista Louis Jourdan acima reproduzidas da Revista Espírita.  Ismael Gobbo.

**************************
O que é a verdade?  Pilatos e Cristo. Pintura de Nikolai Ge.

Representação da manjedoura em quadro exposto na Basílica S. Maria delle Grazie. Milão, Itália. Foto Ismael Gobbo

O servo ocioso. Óleo sobre tela por Nicolaes Maes.
A leiteira. Pintura por Johannes Vermeer

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Lucas - Capítulo XXII

1 Aproximava-se a festa dos pães ázimos, que se chama a páscoa.   
2 E os principais sacerdotes e os escribas andavam procurando um modo de o matar; pois temiam o povo.   
3 Entrou então Satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, que era um dos doze;   
4 e foi ele tratar com os principais sacerdotes e com os capitães de como lho entregaria.   
5 Eles se alegraram com isso, e convieram em lhe dar dinheiro.   
6 E ele concordou, e buscava ocasião para lho entregar sem alvoroço.   
7 Ora, chegou o dia dos pães ázimos, em que se devia imolar a páscoa;   
8 e Jesus enviou a Pedro e a João, dizendo: Ide, preparai-nos a páscoa, para que a comamos.   
9 Perguntaram-lhe eles: Onde queres que a preparemos?   
10 Respondeu-lhes: Quando entrardes na cidade, sair-vos-á ao encontro um homem, levando um cântaro de água; segui-o até a casa em que ele entrar.   
11 E direis ao dono da casa: O Mestre manda perguntar-te: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos?   
12 Então ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado; aí fazei os preparativos.   
13 Foram, pois, e acharam tudo como lhes dissera e prepararam a páscoa.   
14 E, chegada a hora, pôs-se Jesus à mesa, e com ele os apóstolos.   
15 E disse-lhes: Tenho desejado ardentemente comer convosco esta páscoa, antes da minha paixão;   
16 pois vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de Deus.   
17 Então havendo recebido um cálice, e tendo dado graças, disse: Tomai-o, e reparti-o entre vós;   
18 porque vos digo que desde agora não mais beberei do fruto da videira, até que venha o reino de Deus.   
19 E tomando pão, e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.   
20 Semelhantemente, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto em meu sangue, que é derramado por vós.   
21 Mas eis que a mão do que me trai está comigo à mesa.   
22 Porque, na verdade, o Filho do homem vai segundo o que está determinado; mas ai daquele homem por quem é traído!   
23 Então eles começaram a perguntar entre si qual deles o que ia fazer isso.   
24 Levantou-se também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior.   
25 Ao que Jesus lhes disse: Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que sobre eles exercem autoridade são chamados benfeitores.   
26 Mas vós não sereis assim; antes o maior entre vós seja como o mais novo; e quem governa como quem serve.   
27 Pois qual é maior, quem está à mesa, ou quem serve? porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, estou entre vós como quem serve.   
28 Mas vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas provações;   
29 e assim como meu Pai me conferiu domínio, eu vo-lo confiro a vós;   
30 para que comais e bebais à minha mesa no meu reino, e vos senteis sobre tronos, julgando as doze tribos de Israel.   
31 Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo;   
32 mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, fortalece teus irmãos.   
33 Respondeu-lhe Pedro: Senhor, estou pronto a ir contigo tanto para a prisão como para a morte.   
34 Tornou-lhe Jesus: Digo-te, Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes tenhas negado que me conheces.   
35 E perguntou-lhes: Quando vos mandei sem bolsa, alforje, ou alparcas, faltou-vos porventura alguma coisa? Eles responderam: Nada.   
36 Disse-lhes pois: Mas agora, quem tiver bolsa, tome-a, como também o alforje; e quem não tiver espada, venda o seu manto e compre-a.   
37 Porquanto vos digo que importa que se cumpra em mim isto que está escrito: E com os malfeitores foi contado. Pois o que me diz respeito tem seu cumprimento.   
38 Disseram eles: Senhor, eis aqui duas espadas. Respondeu-lhes: Basta.   
39 Então saiu e, segundo o seu costume, foi para o Monte das Oliveiras; e os discípulos o seguiam.   
40 Quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação.   
41 E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e pondo-se de joelhos, orava,   
42 dizendo: Pai, se queres afasta de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua.   
43 Então lhe apareceu um anjo do céu, que o confortava.   
44 E, posto em agonia, orava mais intensamente; e o seu suor tornou-se como grandes gotas de sangue, que caíam sobre o chão.   
45 Depois, levantando-se da oração, veio para os seus discípulos, e achou-os dormindo de tristeza;   
46 e disse-lhes: Por que estais dormindo? Lenvantai-vos, e orai, para que não entreis em tentação.   
47 E estando ele ainda a falar, eis que surgiu uma multidão; e aquele que se chamava Judas, um dos doze, ia adiante dela, e chegou-se a Jesus para o beijar.   
48 Jesus, porém, lhe disse: Judas, com um beijo trais o Filho do homem?   
49 Quando os que estavam com ele viram o que ia suceder, disseram: Senhor, feri-los-emos a espada?   
50 Então um deles feriu o servo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha direita.   
51 Mas Jesus disse: Deixei-os; basta. E tocando-lhe a orelha, o curou.   
52 Então disse Jesus aos principais sacerdotes, oficiais do templo e anciãos, que tinham ido contra ele: Saístes, como a um salteador, com espadas e varapaus?   
53 Todos os dias estava eu convosco no templo, e não estendestes as mãos contra mim; mas esta é a vossa hora e o poder das trevas.   
54 Então, prendendo-o, o levaram e o introduziram na casa do sumo sacerdote; e Pedro seguia-o de longe.   
55 E tendo eles acendido fogo no meio do pátio e havendo-se sentado à roda, sentou-se Pedro entre eles.   
56 Uma criada, vendo-o sentado ao lume, fixou os olhos nele e disse: Esse também estava com ele.   
57 Mas Pedro o negou, dizendo: Mulher, não o conheço.   
58 Daí a pouco, outro o viu, e disse: Tu também és um deles. Mas Pedro disse: Homem, não sou.   
59 E, tendo passado quase uma hora, outro afirmava, dizendo: Certamente este também estava com ele, pois é galileu.   
60 Mas Pedro respondeu: Homem, não sei o que dizes. E imediatamente estando ele ainda a falar, cantou o galo.   
61 Virando-se o Senhor, olhou para Pedro; e Pedro lembrou-se da palavra do Senhor, como lhe havia dito: Hoje, antes que o galo cante, três vezes me negarás.   
62 E, havendo saído, chorou amargamente.   
63 Os homens que detinham Jesus zombavam dele, e feriam-no;   
64 e, vendando-lhe os olhos, perguntavam, dizendo: Profetiza, quem foi que te bateu?   
65 E, blasfemando, diziam muitas outras coisas contra ele.   
66 Logo que amanheceu reuniu-se a assembléia dos anciãos do povo, tanto os principais sacerdotes como os escribas, e o conduziam ao sinédrio deles, onde lhe disseram:   
67 Se tu és o Cristo, dize-no-lo. Replicou-lhes ele: Se eu vo-lo disser, não o crereis;   
68 e se eu vos interrogar, de modo algum me respondereis.   
69 Mas desde agora estará assentado o Filho do homem à mão direita do poder de Deus.   
70 Ao que perguntaram todos: Logo, tu és o Filho de Deus? Respondeu-lhes: Vós dizeis que eu sou.   
71 Então disseram: Por que ainda temos necessidade de testemunho? pois nós mesmos o ouvimos da sua própria boca.   



Ele chorou por isso. Óleo sobre tela de Enrique Simonet


De acordo com o capítulo 19 do Evangelho de Lucas , quando Jesus se aproxima de Jerusalém , ele olha para a cidade e chora sobre ela ( Lucas 19:41 ) (um evento conhecido como Flevit super illam em língua latina ), predizendo o sofrimento que aguarda o povo da cidade. O evento aconteceu no Monte das Oliveiras , no fundo do Segundo Templo.
Leia mais:
Ilustração bíblica da   Fuga do Egito sob liderança de Moisés. Publicada em 1907 por Providence Lithograph Company
Shmura Matzo.
Foto de Shmura Matzo artesanal usada no seder da Páscoa . Foto tirada em 12 de abril de 2006 por Yoninah .

Pessach (do hebraico פסח, que significa passar por cima ou passar por alto[1]) é a "Páscoa judaica", também conhecida como "Festa da Libertação", e celebra a libertação dos hebreus da escravidão no Egito em 14 de Nissan do ano de 1446 a.c. .[2][3]
Fonte:
Judas, á direita, retirando-se da Última Ceia. Pintura por  Carl Bloch
Cenáculo. Jerusalém, Israel. Foto Ismael Gobbo.

Cenáculo (do latim Cenaculum) é o termo usado para o sítio ou local onde ocorreu, de acordo com os cristãos, a Última Ceia e onde atualmente se encontra um grande templo. A palavra é um derivado da palavra latina cena, que significa "jantar".
Leia mais:
A agonia no jardim de Getsêmani. Têmpera no painel de Andrea Mantegna.
Jesus orando no jardim depois da Última Ceia , enquanto os discípulos dormem e Judas lidera a multidão, por Andrea Mantegna
O beijo de Judas. Aquarela de James Tissot.
Imagem/fonte:
A prisão de Cristo. Óleo sobre tela de El Greco. Catedral de Toledo, Espanha.
Pedro decepa a orelha do soldado Malco. Obra de Aleijadinho, Congonhas, MG. Foto Ismael Gobbo
Disse, pois, Jesus a Pedro: Mete a tua espada na bainha; não hei de beber o cálice que o Pai me deu?”. João 18: 11
Galo. Foto Ismael Gobbo.
Tornou-lhe Jesus: Digo-te, Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes tenhas negado que me conheces. 
 Lucas 22:34
A negação de Pedro. Óleo sobre tela de Rembrandt.
São Pedro em lágrima. Óleo sobre tela de Bartolomé Esteban Murillo.
Imagem/fonte:
Jesus prestes a ser golpeado diante do sumo sacerdote Anás.Óleo sobre tela por José de Madrazo.
Jesus diante de Caifás. Óleo sobre tela por Matthias Stom.
Remorso de Judas. Óleo sobre tela de Almeida Junior (1880)
 Museu Nacional de Belas Artes. Rio de Janeiro, Brasil. Foto Ismael Gobbo