BLOG DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA.....ARAÇATUBA- SP

Atenção

"AS AFIRMAÇÕES, INFORMAÇÕES E PARECERES PUBLICADOS NESTE BLOG SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DE QUEM OS ELABOROU, ASSINA E OS REMETEU PARA PUBLICAÇÃO. FICA A CRITÉRIO DO RESPONSAVEL PELO BLOG A PUBLICAÇÃO OU NÃO DAS MATÉRIAS, COMENTÁRIOS OU INFORMAÇÕES ENCAMINHADOS."

quarta-feira, 17 de abril de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA- 18-04-2019.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/ABRIL/18-04-2019.htm


Portrait JBAM Jobard.jpg
Jean-Baptiste-Ambroise-Marcelino Jobard
 (17 de maio de 1792 - 27 de outubro de 1861)
Concepção artística de um  disco protoplanetário, onde partículas de poeira e areia colidem e se acumulam formando planetas ou asteróides.
Fonte: NASA

Formação e evolução do sistema solar
Estima-se que a formação e evolução do sistema solar começou há cerca de 4600 milhões de anos com o colapso gravitacional de uma pequena parte de uma nuvem molecular gigante. A maior parte da massa colapsos recolhidos no centro, formando o Sol , ao passo que o resto achatada em um disco protoplanetária a partir do qual formado o planetas , satélites , asteroides e outro corpo do sistema solar pequeno.
.....................
................
........
File:Giantimpact.gif
Uma ilustração da hipóteses do impacto gigante que se crê forma a Lua.
Arquivo: Earth formation.jpg
 Ilustração das primeiras condições do seu planeta


VIDEO COM A TEORIA DO BIG BANG


O Mármore Azul. “The Blue Marble”. Foto colhida pela Apollo 17 aos  07-12-1972.

" The Blue Marble" é uma fotografia famosa da Terra, realizada em 7 de dezembro de 1972, pela tripulação danave espacial Apollo 17 em rota para a Lua a uma distância de cerca de 29 mil quilômetros (18,000 milhas). Mostra a África , a Antártica e a Península Arábica . (Wikipedia).

Psiquiatra francês Philippe Pinel (1745-1826) liberando lunáticos de suas cadeias no asilo de Salpêtrière em Paris em 1795
Pintura por Tony Robert-Fleury.
Aula na Salpêtrière. Pintura por André Brouillet

Charcot demonstrou hipnose sobre um paciente " histérico " da Salpêtrière , "Blanche" ( Blanche Wittmann ), que é apoiado por Joseph Babiński . [13]    (Wikipedia)
File: Rigidity of the body produzido por catalepsy.jpg
Rigidez do corpo produzida por Catalepsia.

Jesus
Jesus em tela bordada por Alexandra Herrmann (imagem cedida por Oceano Vieira de melo)

...............
...........

Essa Comunidade de seres angélicos e perfeitos, da qual é Jesus um dos membros divinos, ao que nos foi dado saber, apenas já se reuniu, nas proximidades da Terra, para a solução de problemas decisivos da organização e da direção do nosso planeta, por duas vezes no curso dos milênios conhecidos. A primeira, verificou-se quando o orbe terrestre se desprendia da nebulosa solar, a fim de que se lançassem, no Tempo e no Espaço, as balizas do nosso sistema cosmogônico e os pródromos da vida na matéria em ignição, do planeta, e a segunda, quando se decidia a vinda do Senhor à face da Terra, trazendo à família humana a lição imortal do seu Evangelho de amor e redenção.
...............
...........
............
Livro: “A Caminho da Luz”. Espírito Emmanuel pela psicografia de Francisco Cândido Xavier
             I A Gênese Planetária.


4. O papel de Jesus não foi o de um simples legislador moralista, tendo por exclusiva autoridade a sua palavra. Cabia-lhe dar cumprimento às profecias que lhe anunciaram o advento; a autoridade lhe vinha da natureza excepcional do seu Espírito e da sua missão divina. Ele viera ensinar aos homens que a verdadeira vida não é a que transcorre na Terra, e sim a que é vivida no Reino dos Céus; viera ensinar-lhes o caminho que a esse reino conduz,...............
(O Evangelho Segundo o Espiritismo” Cap. I, item 4) Febnet.


Jesus é um desses divinos missionários e é de todos o maior. Destituído da falsa auréola da divindade, mais imponente nos parece ele. Seus sofrimentos, seus desfalecimentos, sua resignação, deixam-nos quase insensíveis, se oriundos de um Deus, mas tocamnos, comovem-nos profundamente em um irmão. Jesus é, de todos os filhos dos homens, o mais digno de admiração. É extraordinário no sermão da montanha, em meio à turba dos humildes. É maior ainda no Calvário, quando a sombra da cruz se estende sobre o mundo, na tarde do suplício.... “Cristianismo e Espiritismo” de  Léon Denis.
O Cristo na casa de seus pais. Óleo sobre tela de John Everett Millais
Jesus Cristo e a mulher cananita. Óleo sobre tela por Jean Germain Drouais.
Mar da Galiléia. O lago em cujas margens e de barco Jesus nos legou pelo exemplo sua doutrina de amor.
Foto Ismael Gobbo.
O Beijo de Judas. Óleo sobre tela por Nicolai Wilhelm Marstrand.
Imagem/fonte:
A negação de Pedro. Pintura por Karel Dujardin
O que é a verdade?  Pilatos e Cristo. Pintura de Nikolai Ge.
“Ecce homo”. Pilatos apresenta Jesus à multidão. Óleo sobre tela por  Antonio Ciseri.



Na Bíblia, a única referência à esposa de Pilatos se encontra em Mateus 27:19, em que ela manda uma mensagem a seu marido pedindo a ele que não condene Jesus Cristo à morte, dizendo:
Jesus,  o Mestre da Boa Nova e Kardec o paladino do Consolador prometido por Jesus.
Jesus: Quadro de Maria Tereza Braga e Allan Kardec.

 
Allan Kardec
Lião (França): 03-10-1804 /  Paris (França):  31-03-1869
Gravura cedida por Charles Kempf, Belfort, França.
File:Lyon la Saone et fourviere.JPG
O rio Saône e a colina de Fourviére no século XVIII. Lião, França.

Ilustração artística retratando Allan Kardec e sua esposa Amelie Gabrielle Boudet.
Do acervo do CEI-Conselho Espírita Internacional. Apresentada em 2004 no Congresso Espírita Mundial

Le Livre des Esprits 2.jpg
O Livro dos Espíritos em sua edição de 1860.
imagem
Turista orando no sempre florido túmulo de Allan Kardec.
Cemitério Pére Lachaise, Paris, França. Foto Ismael Gobbo
Allan Kardec, o genial  Codificador da Doutrina Espírita.
Óleo sobre tela de Nair Camargo. Foto Ismael Gobbo
Arquivo: Violone PeterLely1649DutEng.png
Violone ou "grande violoncelo ", pintura de Sir Peter Lely , nascido na Inglaterra Barroco Inglês Pintor, c. 1640 . 
Galerias do Instituto Courtauld, Londres
Imagem do Teatro Municipal de São Paulo, em 1911, exposta no Teatro Municipal. Foto da foto:  Ismael Gobbo.
A sala de espetáculos e palco do Teatro Municipal de São Paulo. Foto Ismael Gobbo.
Vistas frontal e lateral do Teatro Municipal de São Paulo. Fotos Ismael Gobbo.
Santo Agostinho (354- 430)  retratado em óleo sobre tela por  Philippe de Champaigne


Agostinho de Hipona (em latimAurelius Augustinus Hipponensis[2]), conhecido universalmente como Santo Agostinho, foi um dos mais importantes teólogos e filósofos nos primeiros séculos do cristianismo,[3] cujas obras foram muito influentes no desenvolvimento do cristianismo e filosofia ocidental. Ele era o bispo de Hipona, uma cidade na província romana da África. Escrevendo na era patrística, ele é amplamente considerado como sendo o mais importante dos Padres da Igreja no ocidente. Suas obras-primas são De Civitate Dei ("A Cidade de Deus") e "Confissões", ambas ainda muito estudadas atualmente.
Leia mais:

Jó e seus amigos. Óleo sobre tela de Ilya Repin.
O paciente Jó. Óleo sobre tela de Gerard Seghers.


Sobre Jó
Nasceram-lhe sete filhos e três filhas (Jó 1, 2). Possuía ele sete mil ovelhas, três mil camelos, mil juntas de bois e quinhentas jumentas, tendo também muitos servos; de modo que este homem era o maior de todos do Oriente.
Chegado o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Disse o Senhor a Satanás: "Notaste porventura o meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus, e se desvia do mal?" (Jó 1, 6,8). Satanás, entretanto, desafia a integridade de Jó, e então Deus permite que Satanás interfira na vida de Jó, resultando na tragédia de Jó: a perda instantânea de seus bens, de seus filhos e de sua saúde.
Jó, porém, não blasfemou contra Deus, mas, ao invés disso, ele se levantou, rasgou o seu manto, raspou a sua cabeça e, lançando-se em terra, adorou ao Senhor; e disse: "nu saí do ventre da minha mãe, e nu tornarei para lá. Deus me deu, e Deus tirou; bendito seja o nome do Senhor" (Jó 1, 20-21).
Deus permitiu que Satanás ferisse Jó de úlceras malignas, desde a planta do pé até o alto da cabeça. (Jó 2, 7)
Após a narração desses fatos, sucederam debates entre Jó e seus amigos (Elifaz, Bildad e Sofar) sobre a grandeza dos propósitos da divindade e sobre os mistérios da vida humana e sua culpabilidade. Ao final, Deus aparece a eles e repreende-os, e Jó fala: "Antes eu Te conhecia de ouvir falar, mas agora meus olhos Te veem".
E Deus virou a situação de Jó, enquanto ele orava pelos seus amigos, e o Senhor devolveu a Jó em dobro a tudo quanto antes possuía de bens materiais, além de vir a ter outros sete filhos e três filhas, as quais vieram a ser consideradas como as mais belas da época. E quanto a Jó, ele viveu cento e quarenta anos, e morreu velho e farto de dias.

terça-feira, 16 de abril de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 17-04-2019.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/ABRIL/17-04-2019.htm

Retrato de  Jean-Baptiste-Ambroise-Marcellin  Jobard (17-05-1792/ 27-10-1861)


Jobard foi um litógrafo belga, fotógrafo e inventor de origem francesa. Fundador do primeiro estabelecimento litográfico belga significativo, primeiro fotógrafo na Bélgica, em 16 de setembro de 1839, diretor do Museu da Indústria de Bruxelas (Museu da Indústria de Bruxelas) de 1841 a 1861, Jobard desempenhou um papel, hoje em dia, subestimado, no artístico , desenvolvimento tecnológico, científico e industrial da Bélgica Durante o período holandês e o reinado de Leopold I . (Wikipedia)

Monte do Leão no local onde se travou a Batalha de Waterloo. Litografia por Jobard após desenho de Bertrand




Batalha de Waterloo foi um confronto militar ocorrido a 18 de Junho de 1815 perto de Waterloo, na atual Bélgica (então parte integrante do Reino Unido dos Países Baixos). Um exército do Primeiro Império Francês, sob o comando do Imperador Napoleão (72 000 homens), foi derrotado pelos exércitos da Sétima Coligação que incluíam uma força britânica liderada pelo Duque de Wellington, e uma força prussiana comandada por Gebhard Leberecht von Blücher (118 000 homens). Este confronto marcou o fim dos Cem Dias e foi a última batalha de Napoleão; a sua derrota terminou com o seu governo como Imperador. (Wikipedia)

Allan Kardec, Codificador do Espiritismo.
Foi muito admirado pelo belga Jean-Baptiste-Ambroise-Marcellin  Jobard (vide acima)
Imagem/fonte: Biblioteca Nacional da França.
A visão de Jesus a partir da cruz em aquarela por James Tissot.
O sepultamento de Jesus. Carl H. Bloch.
Cristo aparece a Maria Madalena. Óleo sobre tela de Pietro da Cortona.
Estrada para Emaús. Óleo sobre tela por Jan Wildens.
File:Lacordaire photography.jpg
Foto de Lacordaire. 1855.
Lacordaire (1802-1861), dominicano francês, ativista político, jornalista, escritor e pregador.

Henri Lacordaire, de seu nome completo Jean-Baptiste-Henri Dominique Lacordaire, foi um religioso dominicano, nascido a 2 de maio 1802 em Recey-sur-Ource (Côte-d'OrBorgonha), e falecido a 21 de novembro 1861 em Sorèze (Tarn). Foi padre, jornalista, educador, deputado e académico, sendo considerado como um precursor do catolicismo moderno e restaurador em França da Ordem dos Pregadores.
File:Blake jacobsladder.jpg
Escada de Jacó. William Blake. Pintura de caneta e tinta e cor de água.
A neve em Cambridge, Reino Unido. Foto Ismael Gobbo.

segunda-feira, 15 de abril de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 16-04-2019.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/ABRIL/16-04-2019.htm

A coroação de Hugo Capeto.  Miniatura de um manuscrito do século XIII ou XIV. BN, Paris, França


Hugo Capeto (Paris941 – Paris, 24 de outubro de 996) foi o Rei dos Francos desde a sua eleição em 987 até à sua morte. Foi o primeiro monarca da Casa de Capeto, sucedendo ao último rei carolíngio Luís V.

Infância[editar | editar código-fonte]

Hugo nasceu provavelmente no castelo de Dourdan entre 939-941. É filho de Edviges da Saxónia (irmã de Otão I) e de Hugo, o Grande.
16 de Junho de 956, Hugo, o Grande morre em Dourdan e o seu filho Hugo Capeto deveria herdar um poder de primeira ordem: em Roma, o papa reconhece-o como « glorioso príncipe dos Francos». A meio do século X, a competição pela coroa entre os Carolíngios e Robertianos inicia-se, e a vitória destes últimos é quase inevitável.[1] A legitimidade robertiana concretiza-se ainda mais através do jogo de alianças. Corre nas veias de Hugo Capeto um pouco de sangue carolíngio levado por sua avó paterna (Beatriz de Vermandois), mas também sangue germânico por ascendência direta. Esta origem provém da Renânia e não da Saxónia. Enfim, o seu pai tinha-se aliado com o novo rei da Germânia Otão I, tendo desposado a irmã Edviges de Saxónia para contrariar o desejo de Luis IV sobre a Lotaríngia. No total, à morte de seu pai, Hugo Capeto herdou teoricamente um título prestigioso e um poder principesco.[2]
File:Godofredo de Bulhão, Livro do Armeiro-Mor (1509).png
Miniatura de Godofredo de Bulhão no Livro do Ameiro-Mor (1509).
Carlos Magno.


Carlos Magno (em latimCarolus MagnusalemãoKarl der GroßefrancêsCharlemagne2 de abril de 742 — Aachen28 de janeirode 814)[2] foi o primeiro Imperador dos Romanos de 800 até sua morte, além de Rei dos Lombardos a partir de 774 e Rei dos Francoscomeçando em 768. A denominação dinastia Carolíngia, que pelos sete séculos seguintes dominaram a Europa, no que veio a ser posteriormente chamado Sacro Império Romano-Germânico deriva do seu nome em latim "Carolus".[3][4]
Por meio das suas conquistas no estrangeiro e de suas reformas internas, Carlos Magno ajudou a definir a Europa Ocidental e a Idade Média na Europa. Ele é chamado de Carlos I nas listas reais da Alemanha (como Karl), na França (como Charles) e do Sacro Império Romano-Germânico. Ele era filho do rei Pepino, o Breve e de Berta de Laon, uma rainha franca. Carlos reinou primeiro em conjunto com seu irmão Carlomano, sendo a relação entre os dois o tema de um caloroso debate entre os cronistas contemporâneos e os historiadores.[5]
Napoleão Bonaparte por Jacques-Louis David


Napoleão Bonaparte (em francêsNapoléon BonaparteAjaccio15 de agosto de 1769 – Santa Helena5 de maio de 1821) foi um líder político e militar durante os últimos estágios da Revolução Francesa. Adotando o nome de Napoleão I, foi Imperador dos Franceses[1] de 18 de maio de 1804 a 6 de abril de 1814, posição que voltou a ocupar por poucos meses em 1815 (20 de março a 22 de junho). Sua reforma legal, o Código Napoleônico, teve uma grande influência na legislação de vários países. Através das guerras napoleônicas, ele foi responsável por estabelecer a hegemonia francesa sobre maior parte da Europa. 
 O sapateiro. 1878. Pintura de Ferdinand Hodler.
Ceifando o trigo. Óleo sobre madeira por António Carvalho da Silva Porto. Coleção do Museu Nacional de Soares dos Reis. Porto, Portugal. Em exposição na Pinacoteca do Estado de São Paulo. São Paulo, Brasil. 
Foto Ismael Gobbo. 02-07-2017.
Rio Sena, Ponte de Sully e Catedral Notre Dame. Paris, França. Foto Ismael Gobbo
Missa na Catedral Notre Dame. Paris, França. Foto Ismael Gobbo
Vitrais na Catedral Notre Dame, Paris. Foto Ismael Gobbo
Catedral Notre Dame, Paris, França. Foto Ismael Gobbo
Em O Corcunda de Notre Dame, Victor Hugo faz referências à arquitetura da Catedral.

NOSSOS MAIS PROFUNDOS SENTIMENTOS AO POVO FRANCÊS
PELO TRISTE INCIDENTE QUE AFETOU A MARAVILHOSA E
HISTÓRICA CATEDRAL NOTRE-DAME, PATRIMÔNIO MUNDIAL
DA HUMANIDADE. DEUS AJUDARÁ NA RECONSTRUÇÃO.

Resultado de imagem para focalizando o trabalhador espirita heigorina cunha
Heigorina Cunha
(16-04-1923 / 11-08-2013)

Doutora Marlene Nobre e Heigorina Cunha. Foto Ismael Gobbo.

IMG_5807
São Pedro curando os enfermos. Detalhe do quadro de Laurent de La Hyre exposto na Catedral Notre Dame, Paris.
Foto Ismael Gobbo