BLOG DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA.....ARAÇATUBA- SP

Atenção

"AS AFIRMAÇÕES, INFORMAÇÕES E PARECERES PUBLICADOS NESTE BLOG SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DE QUEM OS ELABOROU, ASSINA E OS REMETEU PARA PUBLICAÇÃO. FICA A CRITÉRIO DO RESPONSAVEL PELO BLOG A PUBLICAÇÃO OU NÃO DAS MATÉRIAS, COMENTÁRIOS OU INFORMAÇÕES ENCAMINHADOS."

domingo, 14 de julho de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 15-07-2019.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/JULHO/15-07-2019.htm

“Les Diables de Morzine” em 1861. Extraído da Gazeta Médica de Lião.



Morzine é uma comuna nos Alpes franceses, situada no departamento de Alta Saboia, na região de Auvérnia-Ródano-Alpes. A população era de 2948 habitantes em 1999, e área é de 44,10 km².
Leia mais:

Possuídos de Morzine.
Quadro que descreve a cerimônia de confirmação de 1864 em Morzine. O bispo de Annecy molestado pelas mulheres da comunidade "possuído por demônios". Encontro 1864
Pintura em ferro de Laurent Baud (1827-1907)



Possuído de Morzine:
possuido de Morzine é o nome dado a um fenômeno coletivo de posse , chamada mal de Morzine , que teve lugar NO XIX th  século da cidade de Morzine em Haute-Savoie .

História
Por cerca de treze anos, de 1857 a 1870, dezenas de mulheres morzinas foram acometidas de convulsões , alucinações e ataques sonambúlicos . Eles disseram que estavam possuídos por demônios.
O Dr. Augustin Constans, inspetor geral dos manicômios e um dos médicos que examinaram os pacientes, descreveu esses fatos como "uma epidemia de histero-demonopatia". A psiquiatria contemporânea poderia chamar essas crises de " histeria de conversão  ".
Este caso teve, numa época em que a psiquiatria era uma especialidade gagueira, uma grande publicidade. As revistas científicas ecoaram os fatos 1 , 2 , 3 , Joseph Arthaud , médico alienista do asilo Vinatier em Bron, especialmente para examinar os Morzinoises. Magnetizadores e espiritualistas também se mudou 4 , 5 "O espírita Allan Kardec 6 foi para Morzine antes de ser reprimido pelos gendarmes.

“Os possessos de Morzine”
Aquarela de James Tissot ilustrando o episódio em que Jesus cura  um “endemoniado”,
com os porcos se precipitando  mar. Imagem/fonte: 

Sinopse
Nos anos de 1860, 1861, 1862, 1864 e 1867, Allan Kardec, aproveitando as férias da Sociedade Espírita de Paris, deslocou-se da capital francesa para visitar, no interesse do Espiritismo, algumas cidades do interior da França e da Bélgica. Conforme palavras do Codificador, essas viagens tinham um “duplo objetivo: dar instruções onde estas fossem necessárias e, ao mesmo tempo, nos instruirmos. Queríamos ver as coisas com os nossos próprios olhos, para julgar do estado real da Doutrina e da maneira pela qual ela é compreendida; estudar as causas locais favoráveis ou desfavoráveis ao seu progresso, sondar as opiniões, apreciar os efeitos da oposição e da crítica e conhecer o julgamento que se faz de certas obras. Estávamos desejosos, sobretudo, de apertar a mão de nossos irmãos espíritas e de lhes exprimir pessoal mente a nossa mui sincera e viva simpatia, retribuindo as tocantes provas de amizade que nos dão em suas cartas; de dar (…) em particular, um testemunho especial de gratidão e de admiração a esses pioneiros da obra que, por sua iniciativa, seu zelo desinteressado e seu devotamento, constituem os seus primeiros e mais firmes sustentáculos (…).” E a história viva do Espiritismo nascente, o lançamento das primeiras balizas do Movimento Espírita em solo europeu, verdadeira epopéia que somente um Espírito de escol poderia levar a bom termo naqueles tempos difíceis do século XIX.

Selo comemorativo do 1º.  Centenário da Codificação do Espiritismo (1857/ 1957). Correio do Brasil.
Procissão pelas ruas de Tiradentes, MG, no Dia de Natal. Foto Ismael Gobbo
Benedita Fernandes
Benedita Fernandes (27-06-1883 / 09-10-1947), um dos maiores vultos do movimento espírita brasileiro, com as crianças do Abrigo “João de Deus”,  do qual foi fundadora e dirigente. Nesta foto de 27 de junho de 1943, d. Benedita, que costumava viajar e passear com as crianças do Abrigo, faz visita à Aliança Espírita “Varas da Videira”, outra entidade  de Araçatuba, SP.  Leia biografia de Benedita Fernandes acessando:
Benedita Fernandes, no centro da foto, com crianças em viagem a Mato Grosso, no ano de 1940
Foto do acervo do Hospital Benedita Fernandes
Benedita Fernandes

D. Benedita Fernandes (27-06-1883 / 09-10-1947) grande liderança do movimento espirita de
Araçatuba, ladeada por dois amigos. Foto do arquivo de Ismael Gobbo
João Marchesi, importante vulto do Espiritismo de Penápolis, SP. , que, com outros
companheiros  atendeu Dona Benedita Fernandes quando esta passava por grave  processo obsessivo.
Foto do acervo de João Marchesi Neto.
Imagens do Hospital Benedita Fernandes e CAPS. Araçatuba, SP., recebidas de Vladimir Vitoriano da Silva.
Dona Benedita Fernandes, primeira à esquerda de pé, um dos principais vultos do movimento espírita de
Araçatuba, SP, depois de curar-se de obsessão no Espiritismo se dedicou a cuidar de doentes mentais e crianças.
Dona Benedita, à frente e no centro, com amigos e colaboradores. Foto do acervo do Hospital Benedita Fernandes
O Semeador (Após Millet) . Vincent van Gogh. caneta e lavagem aumentada com verde e branco (papel cinza comum)
Imagem/fonte:
Belisário pedindo esmolas. Pintura por Jacques-Louis David.
Imagem/fonte:
Maria Madalena. Óleo sobre tela por Bartolomé Esteban Murillo.
Imagem/fonte:

sexta-feira, 12 de julho de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 13-07-2019.

CLICAR AQUI:

A ilustração de Botticelli do Inferno de Dante mostra bajuladores insinceros rastejando nos excrementos
no segundo buraco do oitavo circulo.
Fábulas de La Fontaine. “O corvo e a raposa”.




BAJULAÇÃO
LEIA SOBRE A FÁBULA
O CORVO E A RAPOSA
Jean de La Fontaine.


Jean de La Fontaine , nascido em8 de julho de 1621em Château-Thierry e morreu em13 de abril de 1695em Paris , é um poeta francês de grande renome, principalmente por suas fábulas e, em menor medida, por seus contos . Ele também é responsável por vários poemas, peças de teatro e libretos de ópera que confirmam sua ambição como moralista.
Leia mais:

Moeda com efígie de Tibério César, imperador romano
à época das pregações  de Jesus *. Museu Nacional de Arte Romano. Mérida, Espanha. Foto Ismael Gobbo
Moeda de César em pintura de Domingos Sequeira.
Imagem/fonte:


Então, retirando-se os fariseus, consultaram entre si como o surpreenderiam nalguma palavra;
E enviaram-lhe os seus discípulos, com os herodianos, dizendo: Mestre, bem sabemos que és verdadeiro, e ensinas o caminho de Deus segundo a verdade, e de ninguém se te dá, porque não olhas a aparência dos homens.
Dize-nos, pois, que te parece? É lícito pagar o tributo a César, ou não?
Jesus, porém, conhecendo a sua malícia, disse: Por que me experimentais, hipócritas?
Mostrai-me a moeda do tributo. E eles lhe apresentaram um dinheiro.
E ele diz-lhes: De quem é esta efígie e esta inscrição?
Dizem-lhe eles: De César. Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.
E eles, ouvindo isto, maravilharam-se, e, deixando-o, se retiraram.
Mateus 22:15-22

As obras básicas do Espiritismo codificado por Allan Kardec.
O massacre dos inocentes. Óleo sobre madeira de Carvalho por Peter Paul Rubens.
O beijo de Judas. Aquarela de James Tissot
Imagem/fonte: 
A negação de Pedro. Pintura por Karel Dujardin
O homem possuído na sinagoga. Aquarela de James Tissot.
“Ecce homo”. Pilatos apresenta Jesus à multidão. Óleo sobre tela por  Antonio Ciseri.



Na Bíblia, a única referência à esposa de Pilatos se encontra em Mateus 27:19, em que ela manda uma mensagem a seu marido pedindo a ele que não condene Jesus Cristo à morte, dizendo:

«Não te envolvas no caso desse justo, porque muito sofri, hoje, em sonhos, por causa dele.» (Mateus 27:19) (Wikipedia)


Pilatus lava as mãos. Aquarela por James Tissot.
Imagem/fonte: 

A visão de Jesus a partir da cruz em aquarela por James Tissot.
Londres, Reino Unido. Foto: Laura  Emília Michelin Gobbo.
Madre Teresa de Calcutá (1910- 1997)
Ajuda para os feridos. Irmã da Caridade. Pintura de Alexandre-Marie Guillemin.
Imagem/fonte:




quinta-feira, 11 de julho de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 12-07-2019.

CLICAR AQUI:

Retrato do historiador e político francês Hippolyte Fortoul  (04-08-1811 / 04-07-1856)


Hippolyte Nicolas Honoré Fortoul nasceu em 4 de agosto de 1811 em Digne , Alpes-de-Haute-Provence, filho de um advogado que iniciou uma carreira na prefeitura em 1831. Frequentou a escola secundária em Digne e depois em Lyon . Entre 1829 e 1837 ele foi jornalista em Paris. Ele viajou pela Bélgica, Alemanha, Suíça, Itália e Inglaterra entre 1834 e 1837. Em 1837 ele decidiu que não havia futuro no jornalismo e decidiu entrar no mundo acadêmico. [1]

Leia mais:
Ilustração de CE Brock para a edição de 1895 do romance Orgulho e Preconceito de Jane Austen (Capítulo 18)
O Angelus. Óleo sobre tela de Jean-François Millet. 1857/1859.
Imagem/fonte:
Jesus no Monte das Oliveiras. Obra de Vasilij G. Perov.
Quadro “A virgem Maria em prece”. Óleo em madeira de tília de Albrecht Durer.
Apóstolo São Paulo. Óleo sobre tela por Almeida Junior
Igreja Nossa Senhora da Candelária. Itú, SP
Imagem/fonte: 
Ruínas do templo de Apolo. Corinto, Grécia. Foto Ismael Gobbo




Corinto
A cidade surgiu na Era Neolítica, aproximadamente em 6000 a.C. Existem várias versões sobre a fundação da cidade. Os coríntios da época de Pausânias (geógrafo) diziam que a cidade havia sido fundada por Corintos, filho de Zeus, e que Éfira, filha de Oceano, foi a primeira moradora da região (que se chamava Efireia)[3].
Corinto foi uma das mais florescentes cidades gregas da Antiguidade Clássica, tendo sido autônoma e soberana durante o Período Arcaico da história da Grécia. Desde aqueles tempos, Corinto experimentou um notável desenvolvimento comercial devido à sua localização, o que trouxe benefícios sobre as artes (principalmente seus vasos de cerâmica) e a cultura de um modo geral, bem como a acumulação de riquezas pela aristocracia local. Contudo, no final dessa fase áurea, a pólis foi governada por um tirano denominado Cípselo, provavelmente entre 657 a.C. e 625 a.C., quando iniciou-se um curto período de expansionismo em que foram fundadas colônias no noroeste da Grécia.

1 Coríntios 1: 1–21 no Codex Amiatinus do século VIII.
Fonte:

Nossa homenagem a Jésus Gonçalves  (117 anos)
12/07/1902 – 16/02/1947

Leia sobre Jésus Gonçalves acessando os links abaixo:

Jésus Gonçalves, com aproximadamente 18 anos.
1902-1947
(Foto do acervo da família, Bauru, SP)
Jésus Gonçalves e a primeira esposa, d. Theodomira, em foto com dedicatória datada de 1926.
Foto do acervo particular de Jandyra Gonçalves da Silva, Bauru, SP.
Jésus Gonçalves no time de futebol do Asilo Colônia Aimorés, em Bauru, SP . 12-05-1933.
Foto do acervo de Jaime Prado, Bauru, SP.
A Jazz Aimorés Band do Asilo-colônia de Aimorés. Jésus na extrema esquerda sentado.
Jésus Gonçalves sentado
Dona Ninita, companheira de Jésus Gonçalves, Álvaro Ribeiro Branco,
Zaíra Junqueira Pitt e Julinha Thekla Kohleisen.
Foto do acervo do Grupo Socorrista Zaira Pitt, São Paulo, Brasil.
Tumulo de Jésus Gonçalves em Pirapitingui (Itu, SP)
Imagem cedida por Jaime Prado
Jandyra Gonçalves da Silva, é a única dos filhos de Jésus Gonçalves
 ainda encarnada. Bauru, SP. Foto Ismael Gobbo em 06-07-2019.
Ismael Gobbo e Jandyra Gonçalves da Silva em 06-07-2019.
Zaira Junqueira Pitt, grande mecenas de Jésus Gonçalves
Foto: acervo do Grupo Socorrista Zaira Pitt, São Paulo, Brasil.


Leia biografia de Zaira Junqueira Pitt aqui:

Estátua do imperador  César Augusto. Reinava quando Jesus nasceu na Palestina, uma província romana.
Museu do Louvre, Paris, França. Foto Ismael Gobbo
Augusto foi imperador romano até o ano 14 d.C quando o menino Jesus morava em Nazaré da Galiléia, Israel.
Jesus  encontrado no Templo. Aquarela por James Tissot.
Imagem/fonte:
Jesus Cristo. “A cura de dez leprosos”. Aquarela de James Tissot
Tibério, imperador romano à época da crucificação de Jesus. Museu do Louvre, Paris. Foto Ismael Gobbo.
O governo de Tibério, sucessor de Augusto, foi do ano 14 d.C. até o ano 37.