BLOG DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA.....ARAÇATUBA- SP

Atenção

"AS AFIRMAÇÕES, INFORMAÇÕES E PARECERES PUBLICADOS NESTE BLOG SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DE QUEM OS ELABOROU, ASSINA E OS REMETEU PARA PUBLICAÇÃO. FICA A CRITÉRIO DO RESPONSAVEL PELO BLOG A PUBLICAÇÃO OU NÃO DAS MATÉRIAS, COMENTÁRIOS OU INFORMAÇÕES ENCAMINHADOS."

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 23-02-2019.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/FEVEREIRO/23-02-2019.htm

1ª. página do jornal “Le Siècle” de 14 de outubro de 1861 noticiando o Auto de Fé de Barcelona
ocorrido no dia 9 de outubro de 1861. No alto à esquerda da página.
Recortes da noticia do Auto de Fé de Barcelona
1ª. página do jornal “Le Siècle” de 14 de outubro de 1861.

São Domingos em óleo sobre tela de Tiziano.
Auto de fé de Barcelona com  queima de livros espíritas aos 9 de outubro de 1861.
Barcelona vista da Basilica Sagrada Familia. Foto Lucas Augusto Michelin Gobbo.



AUTO DE FÉ DE BARCELONA
Auto de  de Barcelona foi uma expressão notabilizada por Allan Kardec para se referir à queima, em praça pública, de trezentos livros espíritas, realizada no dia 9 de outubro de 1861 em BarcelonaEspanha. Foi utilizada pela primeira vez no subtítulo do artigo "O resto da Idade Média", publicado em novembro daquele ano na "Revue Spirite".
Leia mais:



Pedro BerrugueteSão Domingos Presidindo a um auto de fé (1475). Visões artísticas que retratam o tema geralmente apresentam cenas de tortura e de pessoas queimando na fogueira durante os eventos/procedimentos.
Fonte:

Auto de fé ou auto da fé foi o ritual de penitência pública de hereges e apóstatas que ocorreu quando a Inquisição EspanholaInquisição Portuguesa ou a inquisição mexicana tinha decidido a sua punição, seguido pela execução pelas autoridades civis das sentenças impostas. Nos autos de fé, os hereges podiam ou abandonar a heresia que estavam propagando (o que os levaria a penas graves, como a prisão perpétua) ou continuar fiel a sua crença herética, o que o faria ser relaxado ao braço secular.[1][2]

Leia mais:


ALLAN KARDEC, O GRANDE VENCEDOR!

Professor Rivail, o insigne Allan Kardec, codificador do Espiritismo.
Óleo sobre tela de Nair Camargo. Foto Ismael Gobbo

O Semeador. Obra de arte de Lucio Fontana como uma tapa de  antigo túnel por onde passava ferrovia.
Parque Urquiza, Rosário Argentina. Foto Ismael Gobbo
Plantação de soja. Birigui, SP. Foto Ismael Gobbo
Colheita da soja. Birigui,  SP. Foto Ismael Gobbo.


Salão Parapsy 2019 em Paris

Stand da Federação Espírita Francesa


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 22-02-2019.

CLICAR AQUI:

Moisés salvo das águas. Óleo sobre tela de Nicolas-Antoine Taunay. 1826.

Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, Brasil. Foto Ismael Gobbo
Moisés vendo a terra prometida. Óleo em papelão por Frederic Edwin Church.
Moisés e os Dez Mandamentos em óleo sobre tela de Rembrandt.



O episódio da recepção dos Dez Mandamentos é sugestivo de uma escrita direta na visão espírita.
Cópia da Estátua de Michelangelo executada  em bronze pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Exposta na Galeria Prestes Maia,  São Paulo, Brasil.. Foto Ismael Gobbo
O bom conselho. Autor: J.B. Madou.
l'illustration Européenne 1871 no.39 página 305
Um mascate vendendo óculos. Óleo no painel de Rembrandt
Imagem/fonte:
Série de cinco pinturas a óleo na série The Senses de Rembrandt. O paradeiro da imagem do "gosto" é desconhecido.

Ruínas do templo de Apolo. Corinto, Grécia. Jeziel (Estêvão)  nasceu em Corinto onde vivia
com a irmã Abigail e o pai Jochedeb. .  Foto Ismael Gobbo


Corinto
A cidade surgiu na Era Neolítica, aproximadamente em 6000 a.C. Existem várias versões sobre a fundação da cidade. Os coríntios da época de Pausânias (geógrafo) diziam que a cidade havia sido fundada por Corintos, filho de Zeus, e que Éfira, filha de Oceano, foi a primeira moradora da região (que se chamava Efireia)[3].
Corinto foi uma das mais florescentes cidades gregas da Antiguidade Clássica, tendo sido autônoma e soberana durante o Período Arcaico da história da Grécia. Desde aqueles tempos, Corinto experimentou um notável desenvolvimento comercial devido à sua localização, o que trouxe benefícios sobre as artes (principalmente seus vasos de cerâmica) e a cultura de um modo geral, bem como a acumulação de riquezas pela aristocracia local. Contudo, no final dessa fase áurea, a pólis foi governada por um tirano denominado Cípselo, provavelmente entre 657 a.C. e 625 a.C., quando iniciou-se um curto período de expansionismo em que foram fundadas colônias no noroeste da Grécia.

***********
Jochedeb é judeu, pai de Jeziel e Abigail, e como todo judeu no ano de 34, vivendo na cidade de Corinto, sofre com a opressão dos dominadores, os romanos. Teve a maior parte de seus bens confiscadas pelo questor do Império, alguns anos antes. Agora vivia em um pequeno sítio.

A lapidação de Santo Estêvão. Óleo em painel de carvalho.
A conversão de São Paulo. Óleo sobre tela por Luca Giordano.
Imagem/fonte: 
Ananias restaurando a visão de Paulo. Obra de Pietro da Cortona
Pregação de São Paulo no Areópago de Atenas. Obra de Rafael (1515)
Imagem/fonte:
Pregação de São Paulo em Éfeso. Óleo sobre tela por Eustache Le Sueur.
Imagem/fonte:
São Paulo preso. Ilustração de Bíblia.
São Pedro e São Paulo. Pintura de El Grego exposta no Museu Nacional de Arte da Catalunha.
Barcelona, Espanha. Foto Ismael Gobbo.
Porto em Kavala, Grécia. Nas proximidades ficava a antiga Filipos. da  Macedônia. 
Foto Ismael Gobbo

Local divulgado como sendo onde São Paulo foi preso na cidade de Filipos,  na antiga  Macedônia, atual Grécia.
Foto Ismael Gobbo
Ruínas de Filipos, cidade da antiga Macedônia, atual Grécia, onde   
São Paulo fez pregações e foi  preso Foto Ismael Gobbo
São Paulo. Óleo sobre tela de Diego Velázquez.
Imagem/fonte:
A cúpula dourada do Domo da Rocha ou Mesquita de Omar em cujo local ficava outrora o Templo de Jerusalém.
Foto Ismael Gobbo
Ascensão de Paulo. Óleo sobre tela por Benedicto Calixto. Fundação Pinacoteca Benedicto Calixto, Santos, SP.
Foto Ismael Gobbo
Chico Xavier psicografando no programa Pinga Fogo

Fazenda Modelo, Pedro Leopoldo, MG . Estabelecimento onde Chico Xavier trabalhou como
Datilógrafo e também fez psicografias.  O livro  Paulo e Estevão foi recebido na casa acima. Foto Ismael Gobbo
Fazenda Modelo, em Pedro Leopoldo , MG. Aqui Chico trabalhou como datilógrafo  na condição
de funcionário do Ministério da Agricultura.  Na foto,  Chico (D) recebendo a visita de uma dama  
espírita de São Paulo. Arquivo Geraldo Leão

Música Chico Xavier



O velho carvalho. Óleo sobre tela de Jules Dupré.
Pica-pau. Araçatuba, SP. Foto Ismael Gobbo.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 21-02-2019.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/FEVEREIRO/21-02-2019.htm

Rômulo e Remo. Óleo sobre tela de Peter Paul Rubens.


Rômulo (português brasileiro) ou Rómulo (português europeu) e Remo são, segundo a mitologia romana, dois irmãos gêmeos, um dos quais, Rômulo, foi o fundador da cidade de Roma e seu primeiro rei. Segundo a lenda, eram filhos de Marte e de Reia Sílvia, descendente de Eneias. A data de fundação de Roma é indicada, por tradição, em 21 de abril de 753 a.C. (também chamado de "Natal de Roma" e dia das festas de Pales).
A família flaviana representada no triunfo de Tito. Óleo sobre tela de Lawrence Alma Tadema. 1885.



Os flavianos inciaram também reformas culturais e econômicas. Sob Vespasiano, novos impostos foram criados para restaurar as finanças imperiais; Domiciano revalorizou a moeda romana aumentando seu conteúdo de prata. Um grande programa de obras públicas foi iniciado para celebrar a ascensão da dinastia, levando à construção de muitos marcos ainda hoje conhecidos na cidade de Roma, incluindo o mais espetacular de todos, o Anfiteatro Flaviano, que ficou conhecido como Coliseu.
Moeda romana com esfinge do imperador Vespasiano
Museu Nacional de Arte Romano. Mérida, Espanha. Foto Ismael Gobbo


Tito Flávio Vespasiano (em latimTitus Flavius VespasianusFalacrina17 de novembro de 9 — Roma23 de junho de 79), foi um imperador romano, o primeiro da dinastia flaviana, que ocupou o poder em 69, logo após o suicídio de Nero e o conturbado ano dos quatro imperadores. Foi proclamado imperador pelos seus próprios soldados em Alexandria. Sucederam-lhe sucessivamente dois dos seus filhos, Tito e Domiciano.
Corredores do Coliseu. Roma, Itália. Foto Ismael Gobbo.


Coliseu (em italianoColosseo), também conhecido como Anfiteatro Flaviano (em latimAmphitheatrum Flavium; em italianoAnfiteatro Flavio), é um anfiteatro oval localizado no centro da cidade de Roma, capital da Itália. Construído com concreto e areia,[1] é o maior anfiteatro já construído e está situado a leste do Fórum Romano.
A construção começou sob o governo do imperador Vespasiano[2] em 72 d.C. e foi concluída em 80, sob o regime do seu sucessor e herdeiro, Tito.[3] Outras modificações foram feitas durante o reinado de Domiciano (81-96).[4] Estes três imperadores são conhecidos como a dinastia flaviana e o anfiteatro foi nomeado em latim desta maneira por sua associação com o nome da família (Flavius).
As festas romanas do Coliseu. Óleo sobre tela de Pablo Salinas (década de 1900)
Pinacoteca do Estado de São Paulo. Foto Ismael Gobbo
Ruínas arqueológicas do Fórum Romano e o Coliseu mais acima. Roma, Itália. Foto Ismael Gobbo


Roma é uma das cidades mais importantes da história da humanidade, exercendo uma influência sem igual no desenvolvimento da história e da cultura dos europeus durante milênios e na construção da Civilização Ocidental. Sua história abrange mais de 2500 anos, desde a sua fundação lendária em 753 a.C. Roma é uma das mais antigas cidades continuamente ocupadas na Europa e é conhecida como "A Cidade Eterna", uma ideia expressa por poetas escritores da Roma Antiga. No mundo antigo, foi sucessivamente a capital do Reino de Roma, da República Romana e do Império Romano e é considerada um dos berços da civilização ocidental. Desde o século I, a cidade é a sede do papado e no século VIII a cidade tornou-se a capital dos Estados Pontifícios, que duraram até 1870. Em 1871, Roma se tornou a capital do Reino da Itália e em 1946 da República Italiana.

Praça de São Pedro vista do alto da cúpula da Basílica. Vaticano. Foto Ismael Gobbo.

Vaticano é uma colina situada na região noroeste de Roma e não possui ligação com as sete colinas de Roma. Era o local dos oráculos muito antes da Roma pré-cristã. Vaticanus, também conhecido como Vagitanus, era um deus etrusco,[11] que "abria a boca do recém nascido para que ele pudesse dar o primeiro grito, o primeiro choro",[12] e seu templo foi construído no antigo local de Vaticanum.[11] Lá se ergueu também o Circo de Nero. Acredita-se que tenha sido também o local em que São Pedro foi martirizado e sepultado.[11][12]

Papa João Paulo II na Praça de São Pedro. Vaticano. Foto Ismael Gobbo
Rio Tibre, Ponte Vittório Emanuele II e Vaticano ao fundo. Roma, Itália. Foto Ismael Gobbo


Tibre (em italianoTevere; em latimTiberis) é um rio no território italiano, com nascente na Emília-Romanha. Atravessa a Toscana (Sansepolcro), a Úmbria (Città di Castello), depois o Lácio (Orte e Roma) e deságua no mar Tirreno.
Dante e Beatriz. Óleo sobre tela por Henry Holiday.
Imagem/fonte:

Dante Alighieri (Florença, entre 21 de maio e 20 de junho de 1265 d.C. — Ravena, 13 ou 14 de setembro de 1321 d.C.)[1]foi um escritorpoeta e político florentino, nascido na atual Itália. É considerado o primeiro e maior poeta da língua italiana, definido como il sommo poeta ("o sumo poeta"). Disse o escritor e poeta francês Victor Hugo (1802-1885) que o pensamento humano atinge em certos homens a sua completa intensidade, e cita Dante como um dos que "marcam os cem graus de gênio". E tal é a sua grandeza que a literatura ocidental está impregnada de sua poderosa influência, sendo extraordinário o verdadeiro culto que lhe dedica a consciência literária ocidental.

Em primeiro plano o espaço onde ficava o Circus Maximus e acima o Palatino. Roma, Itália. Foto Ismael Gobbo


Circo Máximo (em latimCircus Maximus) é um antigo circo — um estádio utilizado para corridas de bigas — e a maior arena de entretenimento de Roma. Situada no vale entre o Aventino e o Palatino, media 621 metros de comprimento e 118 metros de largura e podia acomodar mais de 150 000 espectadores[nota 1]. Em sua forma mais completa, tornou-se o modelo para todos os demais circos do Império Romano. Atualmente o local é um parque público.
Arco de Constantino. Roma, Itália. Foto Ismael Gobbo.

Arco de Constantino é um arco triunfal de Roma construído por ordem do Senado Romano para comemorar a vitória do imperador Constantino sobre Maxêncio na Batalha da Ponte Mílvia em 312[nota 1]. Localizado entre o Coliseu e o monte Palatino, o arco foi inaugurado em 315.[2] Sob ele passava a Via Triunfal, a rota seguida pelos grandes generais e imperadores romanos em seus triunfos.
Jean-Baptiste Massillon. Óleo sobre tela de anônimo. Século XVIII.
Jean Baptiste Massillon (Hyères24 de junho de 1663 – Beauregard-l'Évêque28 de setembro de 1742) foi um religioso francês, pregador e bispo de Clermont desde 1717 até sua morte.
O tesouro escondido. Aquarela de James Tissot.
Imagem/fonte:
Cristo e o jovem rico. Óleo sobre tela por A. N. Mironov.
Oração. Obra de arte em ferro no Jardim da Luz. Autor: Károly Pichler. Foto Ismael Gobbo
Jardim da Luz. São Paulo. Foto Ismael Gobbo
Sóror Juana Inés de La Cruz. Óleo sobre tela de Miguel Cabrera.