BLOG DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA.....ARAÇATUBA- SP

Atenção

"AS AFIRMAÇÕES, INFORMAÇÕES E PARECERES PUBLICADOS NESTE BLOG SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DE QUEM OS ELABOROU, ASSINA E OS REMETEU PARA PUBLICAÇÃO. FICA A CRITÉRIO DO RESPONSAVEL PELO BLOG A PUBLICAÇÃO OU NÃO DAS MATÉRIAS, COMENTÁRIOS OU INFORMAÇÕES ENCAMINHADOS."

terça-feira, 14 de julho de 2020

BOLETIM DIÁRIO DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPIRITA. 15-07-2020.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2020/JULHO/15-07-2020.htm

segunda-feira, 13 de julho de 2020

BOLETIM DIÁRIO DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA. 14-07-2020.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2020/JULHO/14-07-2020.htm

Cerco a Kazan  por  Pyotr Korovin


Leia sobre o cerco de Kazan
File:Вид на кафедральный собор. Казань.1894.jpg
Catedral da Anunciação do Kremlin de Kazan. 1894.
A resposta de Daniel ao rei.
Daniel (em hebraicoדָּנִיּאֵל), ou Beltessazar,[1] é um dos vários profetas[nota 1] do Antigo Testamento. A sua vida e profecias estão incluídas na Bíblia no Livro de Daniel. O significado do nome é "Aquele que é julgado por Deus" ou "Deus assim julgou", ou ainda, "Deus é meu juiz".
Segundo a narrativa, Daniel foi um jovem príncipe judeu levado como prisioneiro de guerra pelas tropas do Império Babilônico, em meio a Rebelião para Independência de Judá. Ao fim do conflito, de acordo com a tradição rabínica, Daniel e outros príncipes judeus foram castrados por ordens do rei babilônico, com o objetivo de desencorajar lideranças e frustrar o sentimento de independência em meio ao povo dominado.[3][4] No entanto, através da Sabedoria oriunda de seu Deus, Jeová, ele interpretou os sonhos e visões de reis, tornando-se uma figura proeminente na corte de Babilônia. Daniel interpretou o sonho do rei Nabucodonosor no capítulo 2. 
Leia mais:


Leia em Daniel 2 a sua interpretação do sonho do rei Nabucodonosor
http://www.noticiasespiritas.com.br/2020/JULHO/13-07-2020_arquivos/image016.jpg
Nabucodonosor II em sua insanidade. Óleo sobre tela de William Blake.
Impressão colorida, tinta e aquarela sobre papel. Imagem/fonte:

Nabucodonosor IINebucadrezar (na ortografia babilônia Nabu - kudurri - usurNebo, proteja a coroa! ou Nebo, proteja as fronteiras!) foi o filho e sucessor de Nabopolassar, rei da Babilónia que libertou os caldeus do reino da Assíria e destruiu Nínive.[1]
Em uma inscrição, ele se chamava de o favorito de Nebo. Foi o mais poderoso rei da Babilônia.[1]
Ele se casou com uma filha de Ciaxares, a princesa Amitis da Média, unificando as dinastias da Babilônia e da Media. Com ela, Nabucodonosor teve três filhos : Evil-MerodaqueNitócris e Cassaia.[1]
Após Neco II, faraó do Egito, haver derrotado os Assírios em Carquemis, as províncias da Síria que estavam sob controle dos assírios passaram ao controle egípcio, enquanto que as demais províncias assírias foram divididas entre os medos e os babilônios; Nabopolassar, porém, pretendia conquistar a Síria, e lutou contra Neco, em Carquemis, derrotou os egípcios, e conquistou a Síria e a Israel.
Nabucodonosor também conquistou a Israel, tomou Jerusalém, e levou judeus cativos para a Babilônia, inclusive Daniel. Em 598 a.C., após a revolta de Joaquim de Judá, que tinha o apoio do faraó Neco, Nabucodonosor o derrota. Nabucodonosor derrota os judeus uma terceira vez, e leva cativo o rei Jeconias de Judá em 597 a.C. Na última revolta, de Zedequias, Nabucodonosor arrasa Jerusalém (586 a.C.), fura os olhos de Zedequias e o deixa prisioneiro por toda a vida.[1]
Nabucodonosor também lutou, no trigésimo ano de seu reinado, contra Amósis II, faraó do Egito.[1]
Leia mais:
São Bento de Nursia
São Bento de Nursia escrevendo a regra beneditina, retrato na igreja da Abadia de Heiligenkreuz perto de Baden bei Wien, Baixa Áustria. Retrato (1926) por Herman Nieg (1849-1928)


Bento de Núrsia, nascido Benedito da Nórcia (em italianoBenedetto di Norcia; em latimBenedictusNórciaReino Ostrogótico, c. 480 – Abadia de Monte Cassino, c. 547) foi um monge, fundador da Ordem de São Bento ou Ordem dos Beneditinos, uma das maiores ordens monásticas do mundo. Foi o criador da Regra de São Bento, um dos mais importantes e utilizados regulamentos de vida monástica, inspiração de muitas outras comunidades religiosas. Era irmão gêmeo de Santa Escolástica. O papa Paulo VI designou-o patrono da Europa em 1964,[1] sendo também patrono da Alemanha. É venerado não apenas por católicos, como também por ortodoxos e anglicanos. Fundou a Abadia de Monte Cassino, na Itália, destruída durante a Segunda Guerra Mundial e posteriormente restaurada. O calendário católico-romano comemora-o a 11 de julho[2], data em que se trasladaram suas relíquias para a Abadia de Saint-Benoît-sur-Loire.
Leia mais:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/NOVEMBRO/30-11-2018_arquivos/image015.jpg
Jesus cura um homem mudo possesso. Aquarela por James Tissot
Imagem/fonte:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/MARCO/15-03-2019_arquivos/image011.jpg
O Livro dos Médius, lançado por Allan Kardec em janeiro de 1861.
O homem rico e pobre Lázaro. Pintura de Hendrick Jansz ter Brugghen.   Lucas 16:19-13
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/NOVEMBRO/24-11-2018_arquivos/image022.jpg
São Lucas. Óleo sobre tela por Frans Hals.
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/NOVEMBRO/24-11-2018_arquivos/image029.jpg
Parábola do cego guiando cegos. Pintura a óleo por  Pieter Bruegel, o Velho.
Imagem/fonte:
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/5/56/William-Adolphe_Bouguereau_%281825-1905%29_-_The_Difficult_Lesson_%281884%29.jpg/678px-William-Adolphe_Bouguereau_%281825-1905%29_-_The_Difficult_Lesson_%281884%29.jpg
A lição difícil. Óleo sobre tela de William-Adolphe Bouguereau
Imagem/fonte:
O Bom Samaritano. Óleo sobre tela de Luigi Sciallero
Imagem/fonte:


*****************

Casa de Batuíra (RJ) com palestra sobre Batuíra
O Grupo de Apoio ao Menor-Casa de Batuíra, de São Gonçalo (RJ), promoveu palestra virtual sobre a vida do pioneiro Batuíra, na noite do dia 7 de julho, com Antonio Cesar Perri de Carvalho.
Link:

 
(Informações recebidas em email de Grupo de Estudos Espíritas Chico Xavier [contato@grupochicoxavier.com.br])

*****************


A Casa do Caminho focalizou a multiplicação dos pães
Célia Maria Rey de Carvalho 
Link:


(Informações recebidas em email de Grupo de Estudos Espíritas Chico Xavier [contato@grupochicoxavier.com.br])

*****************


A vida foi feita para amor e alegria. Aquarela e carvão de Elizabeth Shippen Green. 1904.
Biblioteca do Congresso dos EUA
O Beija-flor em uma mangueira. Foto Ismael Gobbo
A árvore da Uvaia em flores. Fotos Ismael Gobbo

https://www.noticiasespiritas.com.br/2015/NOVEMBRO/11-11-2015_arquivos/image009.jpg
Periquitos em seus ninhos. Araçatuba, SP.  Foto Ismael Gobbo
Um dos braços do rio Tietê em Córrego Azul. Araçatuba, SP. Foto Ismael Gobbo
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/SETEMBRO/21-09-2018_arquivos/image017.jpg
Oleandro ou Espirradeira. Cesaréia, Israel. Foto Ismael Gobbo
https://www.noticiasespiritas.com.br/2015/NOVEMBRO/11-11-2015_arquivos/image039.jpg
Pássaros no ninho. Araçatuba, SP. Foto Ismael Gobbo
manoelphilomenode miranda
Manoel Philomeno de Miranda
Imagem internet

manoelmirandafamilia (1)
Manoel Philomeno de Miranda com a família
860961_589
Nos Bastidores da Obsessão
Livro ditado pelo espírito Manoel Philomeno de Miranda através da
psicografia de Divaldo Pereira Franco

domingo, 12 de julho de 2020

BOLETIM DIÁRIO DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA. 13-07-2020.

CLICAR AQUI:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2020/JULHO/13-07-2020.htm


Kazan como apareceu antes da virada do século XX.

Kazan
A origem do nome Kazan é incerta. Poderia muito bem derivar dos búlgaros - a palavra búlgara (da língua búlgara) e tártaro (absorvida pelos búlgaros) qazan significa 'caldeira' ou 'caldeirão'. Como alternativa, pode ter sido derivado do qatar de Tatar , 'cavado' (com referência a valas). Qazan é originalmente o nome de uma panela especial, semelhante à wok , mas mais pesada. A crença de que a cidade de Kazan tem esse nome vem da semelhança do terreno com um qazan : a cidade está situada em uma planície em forma de U. Outra lenda mais romântica conta a história de uma princesa tártara Söyembikä , que deixou cair um prato de ouro ( qazan dourado) no rio enquanto o lavava e que a cidade foi fundada naquele local. Além disso, as lendas do povo Chuvash se referem ao príncipe búlgaro Khusan (Хусан) (sendo a tradução Chuvash do nome muçulmano Hasan ) e esse é o nome Chuvash da cidade.
Leia mais:
File:Capture of Kazan (Shamshin, 1894).jpeg
Ivan, o terrível entra em Kazan, de Pyotr Shamshin

Ivã IV (Kolomenskoye25 de agosto de 1530 – Moscou28 de março de 1584), apelidado de Ivã, o Terrível, foi o Grão-Príncipe de Moscou de 1533 até a fundação do Czarado da Rússia em 1547, continuando a reinar como seu czar até sua morte.[1] Era filho do grão-príncipe Basílio III e sua segunda esposa Helena Glinskaia.
Seu longo reinado viu as conquistas do Canato de CazãCanato de Astracã e Canato da Sibéria, transformando a Rússia num estado multiétnico e multirreligioso abrangendo quase um bilhão de hectares, cerca de 4 046 856 km² (1 562 500 sq mi).[2] Ivã conquistou o progresso do Estado, transformando uma sociedade medieval num império e emergente potência regional, além de se tornar o primeiro a ser coroado como Czar de todas as Rússias.
Leia mais:
Lago Qaban mais baixo em Kazan, Rússia
Código de Hamurabi, Museu do Louvre, Paris, França. Fotos Ismael Gobbo


Código de Hamurábi, representa o conjunto de leis escritas, sendo um dos exemplos mais bem preservados desse tipo de texto oriundo da Mesopotâmia. Acredita-se que foi escrito pelo rei Hamurábi, aproximadamente em 1 772 a.C.. Foi encontrado por uma expedição francesa em 1901 na região da antiga Mesopotâmia, correspondente à cidade de Susa, no sudoeste do Irã ou Irão.
É um monumento monolítico talhado em rocha de diorito, sobre o qual se dispõem 46 colunas de escrita cuneiforme acádica, com 282 leis em 3 600 linhas. A numeração vai até 282, mas a cláusula 13 foi excluída por superstições da época. A peça tem 2,25 m de altura, 1,50 m de circunferência na parte superior e 1,90 m na base.[1]
Leia mais:

Nabucodonosor II em sua insanidade. Óleo sobre tela de William Blake.
Impressão colorida, tinta e aquarela sobre papel. Imagem/fonte:

Nabucodonosor IINebucadrezar (na ortografia babilônia Nabu - kudurri - usurNebo, proteja a coroa! ou Nebo, proteja as fronteiras!) foi o filho e sucessor de Nabopolassar, rei da Babilónia que libertou os caldeus do reino da Assíria e destruiu Nínive.[1]
Em uma inscrição, ele se chamava de o favorito de Nebo. Foi o mais poderoso rei da Babilônia.[1]
Ele se casou com uma filha de Ciaxares, a princesa Amitis da Média, unificando as dinastias da Babilônia e da Media. Com ela, Nabucodonosor teve três filhos : Evil-MerodaqueNitócris e Cassaia.[1]
Após Neco II, faraó do Egito, haver derrotado os Assírios em Carquemis, as províncias da Síria que estavam sob controle dos assírios passaram ao controle egípcio, enquanto que as demais províncias assírias foram divididas entre os medos e os babilônios; Nabopolassar, porém, pretendia conquistar a Síria, e lutou contra Neco, em Carquemis, derrotou os egípcios, e conquistou a Síria e a Israel.
Nabucodonosor também conquistou a Israel, tomou Jerusalém, e levou judeus cativos para a Babilônia, inclusive Daniel. Em 598 a.C., após a revolta de Joaquim de Judá, que tinha o apoio do faraó Neco, Nabucodonosor o derrota. Nabucodonosor derrota os judeus uma terceira vez, e leva cativo o rei Jeconias de Judá em 597 a.C. Na última revolta, de Zedequias, Nabucodonosor arrasa Jerusalém (586 a.C.), fura os olhos de Zedequias e o deixa prisioneiro por toda a vida.[1]
Nabucodonosor também lutou, no trigésimo ano de seu reinado, contra Amósis II, faraó do Egito.[1]
Leia mais:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/SETEMBRO/02-09-2019_arquivos/image017.jpg
Parede de tijolos de terracota esmaltada. Babilônia (Iraque) sob o reinado de Nabucodonosor II. (604- 562 a.C).
Museu do Louvre, Paris, França. Foto Ismael Gobbo
Visão artística dos Jardins Suspensos da Babilónia


Babilónia (pt) ou Babilônia (pt-BR) (em aramaico: בבל; transl.: Babel; em hebraicoבָּבֶלBavel; em árabe: بابل; Bābil; em acádioBāb-ili(m); em sumério: KÁ.DINGIR.RA) foi a cidade central da civilização babilónica, na Mesopotâmia, situada nas margens do rio Eufrates. As suas ruínas encontram-se a norte do centro da cidade atual de Hila, capital da província de Babil, no Iraque, situada 100 km a sul de Bagdade. Em pelo menos duas ocasiões, a primeira no século XVIII a.C. e a segunda no século VI a.C., foi capital da principal potência da Mesopotâmia e, nesses períodos, é possível que tenha sido a maior cidade do mundo, na qual existiam alguns dos monumentos mais impressionantes da Antiguidade e que ocupava uma área de cerca de 10 km² defendida por várias cercas de imponentes muralhas. O seu sítio arqueológico foi classificado pela UNESCO como Património Mundial em 2019.
Leia mais:
Va Pensiero- Legendado em português. Giuseppe Verdi

Nabucco é uma ópera em quatro atos de Giuseppe Verdi, com libreto de Temistocle Solera, escrita em 1842. A ação da ópera conta a história do rei Nabucodonosor II da Babilônia. Foi escrita durante a época da ocupação austríaca no norte da Itália e, por meio da várias analogias, suscitou o sentimento nacionalista italiano. O Coro dos Escravos Hebreus, no terceiro ato da ópera (Va, pensiero, sull'ali dorate, "Vai, pensamento, sobre asas douradas") tornou-se uma música-símbolo do nacionalismo italiano da época. Foi estreada, a 9 de março de 1842, no Teatro alla Scala de Milão.

Leia mais:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/NOVEMBRO/16-11-2019_arquivos/image054.jpg
MONUMENTO DEDICADO AO COMPOSITOR GIUSEPPE VERDI. VALE DO ANHANGABAÚ. SÃO PAULO, BRASIL. FOTO ISMAEL GOBBO
LEIA SOBRE O MONUMENTO AQUI: 
http://www.saopauloantiga.com.br/monumento-a-giuseppe-verdi/

Panorama do edifício principal da Universidade Estatal de Kazan

Universidade Estatal de Kazan (região do Volga) (em russoКазанский (Приволжский) федеральный университет) é uma instituição de ensino superior localizada em Kazan, na República do TartaristãoRússia.[1] É a principal universidade pública da cidade. Foi fundada em 1804 com a denominação Universidade Imperial de Kazan.
Leia mais:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/SETEMBRO/02-09-2019_arquivos/image057.jpg
Ilustrações do livro Os estados profundos da Hipnose. Autor: Coronel de Rochas D´Aiglun.
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/OUTUBRO/02-10-2018_arquivos/image019.jpg
Aquarela de James Tissot ilustrando o episódio em que Jesus cura  um “endemoniado”,
com os porcos se precipitando  mar.
Imagem/fonte: 
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/be/Brooklyn_Museum_-_The_Swine_Driven_into_the_Sea_%28Les_porcs_pr%C3%A9cipit%C3%A9s_dans_la_mer%29_-_James_Tissot.jpg

http://www.noticiasespiritas.com.br/2019/SETEMBRO/02-09-2019_arquivos/image021.jpg
Rosto do Cristo em madeira entalhada. Foto Ismael Gobbo.
800px-BastienLepage_Jules_Joan_Of_Arc
Joana D’Arc. Quadro de Jules Bastien Lepage
https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k9760107d/f15.highres
Jeanne D´Arc Médium. Léon Denis
Acesse edição em francês:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2017/SETEMBRO/16-09-2017_arquivos/image008.jpg
Joana D’Arc. Óleo sobre madeira por Dante Gabriel Rossetti.
http://www.noticiasespiritas.com.br/2017/SETEMBRO/16-09-2017_arquivos/image006.png
Estátua equestre dourada de Joana D’Arc,  na Praça das Pirâmides, em Paris, França. Foto Ismael Gobbo
http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/NOVEMBRO/27-11-2018_arquivos/image009.jpg
Joana D’Arc – 1883. Óleo sobre tela de Pedro Américo.
Museu Nacional de Belas Artes. Rio de Janeiro, Brasil. Foto Ismael Gobbo
Ivon Costa
(1898- 1934)